Página Inicial Análises Análise | Review de Resident Evil Village: minha experiência com o jogo

Análise | Review de Resident Evil Village: minha experiência com o jogo

por Franklin Magno
Publicado em Atualizado em 8 minuto(s) de leitura
A+A-
Reset

Embora não seja um grande fã da franquia Resident Evil, joguei a maioria dos jogos anteriores, por mais que tenha perdido o interesse nos dois últimos remakes e no Resident Evil 7. No entanto, o meu jogo favorito da série é o quarto título, que me trouxe momentos de nostalgia e me levou a comprar e jogar Resident Evil Village. A iniciativa da Capcom em trazer a dublagem em português para o jogo foi muito bem-sucedida, e eu gostei bastante dessa adição.

Antes de prosseguir com a análise, gostaria de ressaltar que serei o mais breve possível, evitando falar detalhadamente sobre a história do jogo.

História

Em Resident Evil Village, você acompanha a jornada de Ethan anos após os eventos do Resident Evil 7. Embora jogar o jogo anterior seja recomendável para melhor compreensão do enredo, não é obrigatório. Durante o jogo, você recebe um resumo dos acontecimentos de Resident Evil 7, para que possa se situar na história.

Infelizmente, como mencionado anteriormente, eu não joguei o jogo anterior, Resident Evil 7, devido à falta de interesse na franquia. No entanto, isso não prejudicou minha experiência em Resident Evil Village, pois já tinha uma ideia da história da prequela por meio de vídeos de gameplay. Caso você não tenha jogado Resident Evil 7, recomendo jogá-lo primeiro para ter uma melhor compreensão do enredo geral da franquia.

Ethan agora está com a Mia e os dois possuem uma filha, Rose, e vivem tranquilamente juntos, buscando esquecer do pesadelo que vivenciaram na fazenda dos Bakers. Pra evitar detalhes a respeito da trama do jogo, irei somente dizer que uma tragédia acontece e agora Ethan terá de se aventurar mais uma vez, só que agora num Vilarejo supostamente pacato, em busca de sua pequenina Rose.

Embora eu não tenha comprado Resident Evil Village por causa da história, devo admitir que ela me surpreendeu positivamente. Sem dar muitos spoilers, posso dizer que a trama é até curiosa, algo que me faz querer saber o que acontecerá a seguir. Por essa razão, prefiro não entrar em muitos detalhes sobre a história e deixar que os jogadores possam desfrutar dela sem muitos spoilers.

Qualidade gráfica/sonora, jogabilidade e desempenho

Mesmo sem jogar com Ray Tracing e numa qualidade altíssima, pude estar completamente imerso durante a campanha. A qualidade gráfica é excelente e contribuiu para criar uma atmosfera envolvente em cada um dos lugares visitados. A sensação constante de que algo está à espreita, aliada ao medo que isso pode causar, faz a jogabilidade ser ainda mais intensa.

Comprei este jogo mais pela jogabilidade, que me lembrou bastante de Resident Evil 4, e tive alguns momentos de nostalgia, como já mencionado. Acho que o terror de sobrevivência está ótimo, ainda mais com a qualidade gráfica e sonora, e situações em que você precisa agir rápido acompanhadas de ações aterrorizantes ao decorrer da campanha, como uma mulher gigante de quase 3 metros de altura te perseguindo com sangue nos olhos, louca para te dar um “chupinho” mortal.

O desempenho de Resident Evil Village parece estar otimizado, permitindo que jogadores com placas de vídeo mais modestas ainda possam desfrutar do jogo em qualidade média-alta, como foi no meu caso com uma GTX 1050 TI. No entanto, é importante lembrar de conferir os requisitos mínimos e recomendados do jogo antes da compra, bem como realizar pesquisas adicionais em relação ao desempenho em diferentes plataformas e hardware em casos de dúvida.

Vale ressaltar que, apesar de não ter encontrado problemas de desempenho em minha configuração, é sempre importante estar atento a relatos de outros jogadores em relação a problemas específicos com determinados tipos de hardware.

Dublagem

Como mencionado anteriormente, Resident Evil Village é o primeiro jogo da franquia e da Capcom a ser dublado em português. Eu, particularmente, prefiro jogar títulos dublados, pois aprecio o trabalho de dublagem que é feito. No entanto, quando a dublagem é de má qualidade, prefiro jogar no idioma original. Felizmente, a dublagem em português de Resident Evil Village é bem feita e acredito que a maioria dos jogadores irá apreciar, mesmo que no início pareça um pouco estranho ouvir as vozes dos personagens dubladas.

Tempo de jogo e preço

Gostei bastante do ritmo do jogo, por mais que em algumas partes, principalmente no Castelo Dimitrescu, seja inesperado de maneira negativa alguns eventos, o título pode ser considerado curto, mas ao terminá-lo, estava satisfeito com a campanha. Foram cerca de 16h de jogo registradas pela Steam, mas cerca de 10h dentro do jogo ao terminá-lo. Essa diferença de horas com certeza tem a ver com o quanto de vezes que morri, já que joguei inicialmente na dificuldade intenso e não tinha noção do que aconteceria, visto que não olhei nada a respeito do jogo.

É possível jogar na dificuldade mais alta, Vilarejo das Sombras, desde o início se você comprar a DLC “Pacote Trauma” por cerca de R$ 40. O que é pra lá de ridículo.

Por mais que eu pessoalmente não tenha o hábito de jogar um mesmo título diversas vezes, sei que muitos fãs da franquia gostam de explorar tudo o que o jogo tem a oferecer, incluindo desafios em dificuldades mais altas, itens desbloqueáveis como munição infinita, a busca por segredos e até mesmo a platina. Além disso, há modos extras como o Mercenários e o “multijogador” de Resident Evil Re:Verse. Para esses jogadores, Resident Evil Village oferece uma boa quantidade de conteúdo, o que certamente aumenta o valor de replay do jogo. Já para jogadores como eu, uma única jogatina pode ser o suficiente para ficar satisfeito com a experiência.

Embora eu não esteja particularmente envolvido com a franquia, prefiro dedicar meu tempo a outros jogos no momento. No entanto, sem dúvida, em algum momento do futuro, vou me aventurar em uma segunda jogatina, já que é quase uma regra para jogos como este. Levando em consideração o preço, que acho justo, Resident Evil Village tem um conteúdo base que já oferece pelo menos 20 horas de jogo, sem contar as horas extras que se pode ter com jogatinas adicionais. Comprei o jogo em uma loja diferente da Steam por R$ 147, e para mim, cada centavo valeu a pena. Além disso, não se esqueça de que sempre há a possibilidade de pegar uma boa promoção e economizar um pouco.

Então sim, com certeza recomendo Resident Evil Village e acredito que pude citar os fatores que vejo como principais a fim de não te entregar tanto da trama.

Resident Evil Village está disponível para Xbox One e Xbox Series X|S, PlayStation 4 e PlayStation 5 e PC, através da Steam. Acesse o site oficial de Resident Evil Village para mais informações.


Gostou do que leu? Acompanhe a gente nas redes sociais!

Siga Magnaway onde achar melhor: estamos no , , e na .

Usamos cookies para aprimorar sua experiência, como permitir veiculação de anúncios e manter preferências. Aceitar Conferir Política de Privacidade de Magnaway