Página Inicial Prévias Diablo IV: nossas impressões do Closed Beta

Diablo IV: nossas impressões do Closed Beta

Stay Awhile And Listen...

por Diogo José Coelho
Publicado em Atualizado em 9 minuto(s) de leitura

Diablo IV – o que dizer sobre o pequeno gostinho que a Blizzard nos ofereceu do que está por vir? Como alguém que já jogou todos os jogos da série, e cujo um deles é um dos meus jogos favoritos, desenvolvi uma grande curiosidade em relação ao novo título da franquia e vamos lá…

Leia também:

Diablo IV

Diablo 4 apresenta uma ambientação magnífica, mórbida e com detalhes que remetem ao primeiro jogo da série, o estilo de corrupção presente em Diablo 2, e o level design de Diablo 3.

Essa combinação resulta em um jogo ótimo, unindo o melhor de três mundos diferentes. A arquitetura das cavernas malignas do Santuário remete diretamente a Diablo 2 e seus mistérios, mas sem a palheta de cores quentes de Diablo 2 Resurrected, optando por uma paleta mais fria e sombria. Isso é extremamente recompensador, já que a atmosfera pesada de Diablo 1 é algo que não era visto há tempos na franquia.

d007afdf ac1b 4a53 9b0d fe83a98071b9 1

E quanto ao nosso Nephalem? As melhorias gráficas em Diablo 4 são evidentes e surpreendentes em comparação com seus antecessores. Dessa vez, a Blizzard utilizou o mesmo gráfico da gameplay nas cenas de custcene, o que torna o jogo mais orgânico e imersivo. Antes, ao longo do jogo, as custcenes eram mais simples, apresentadas em um ponto de vista isométrico sem muitos detalhes, e as mais importantes eram pré-renderizadas, o que destoava bastante da gameplay.

Diablo IV

Agora, a Blizzard melhorou a direção dessas cenas menores e, por vezes, a câmera assume outra perspectiva, dando maior ênfase aos momentos importantes. Vale ressaltar que, embora o beta que tive a oportunidade de jogar não tenha permitido completar o primeiro ato do jogo, é cedo para afirmar que não haverá custcenes pré-renderizadas.

Diablo IV: Lilith

Passando agora para o aspecto sonoro do Santuário, percebi que as músicas de ambiente não são tão impactantes quanto antes, mas ainda assim contribuem para a imersão no mundo criado pela Blizzard, mantendo a atmosfera sombria e opressiva que o Nephalem enfrenta. No entanto, as músicas que tocam durante as lutas são um ponto forte, pois elas conseguem capturar muito bem o ritmo frenético das batalhas contra chefes e outros inimigos poderosos, envolvendo o jogador na ação.

A jogabilidade apresentou diversos pontos positivos, como a inclusão da esquiva, que é balanceada por um pequeno tempo de recarga. O sistema de poções permanece o mesmo do Diablo 3, o que é excelente. No que diz respeito às habilidades, a combinação entre a árvore de habilidades do Diablo 2 e 3 é um ponto forte, tornando a jogabilidade mais interativa e dinâmica do que no Diablo 2 e mais complexa do que no Diablo 3. No geral, é um aspecto extremamente positivo e memorável do jogo.

Diablo IV: Esquiva

No que se refere à jogabilidade, Diablo 4 apresentou apenas três classes para jogar: Bárbaro, Feiticeira e Arqueira. Eu escolhi jogar com a Arqueira e fiquei satisfeito com o kit de habilidades dessa classe, que é fácil de se adaptar e bem aproveitável. Se não fosse por isso, eu teria escolhido o Necromante (Necromantes dominam!). Estou ansioso para ver o potencial do Necromante quando o beta aberto for lançado. Todas as classes me chamaram a atenção desta vez, graças ao seu potencial e apresentação extremamente positivos.

Diablo IV

É importante lembrar que em uma versão beta, como mencionado anteriormente, apenas uma pequena parcela da história pode ser apresentada, e muitas vezes pode levar tempo para a trama se desenvolver e realmente capturar o interesse do jogador.

No entanto, é positivo que a personagem Lilith tenha sido bem apresentada e que a cena da capela tenha conseguido transmitir a maldade que ela representa. Além disso, a subtrama envolvendo a mãe de uma NPC parece ter sido bem executada e capaz de fornecer um gostinho do que está por vir. É possível que a Blizzard tenha mais surpresas e reviravoltas na história que ainda não foram reveladas neste beta.

Diablo IV: Lilith

A qualidade técnica do jogo é mediana, com alguns problemas como crashes, oscilações de fps em algumas áreas e um pouco de input lag nos controles. Além disso, ocorreram desconexões em pontos cruciais durante o gameplay. Apesar desses problemas, o desempenho geral do jogo é bom e pode ser ainda melhorado com polimento. Acredita-se que o port para PC tem potencial para ser excelente se aprimorado. Nas imagens a seguir uns dos bugs que foram recorrentes.

Diablo IV é um jogo que certamente irá agradar aos entusiastas do gênero e da franquia, apresentando uma execução primorosa em suas mecânicas e trazendo novidades significativas para o universo de Diablo. Com a iminente chegada de Lilith, a expectativa é de uma excelente recepção por parte dos jogadores. A mistura de elementos clássicos e inovadores é uma das grandes virtudes do jogo, proporcionando uma experiência envolvente e desafiadora. Ainda que tenha alguns pontos a serem melhorados, o potencial do jogo é indiscutível, e espera-se que a equipe de desenvolvimento continue trabalhando para polir e aprimorar o título, de forma a oferecer a melhor experiência possível para os jogadores.

Enquanto isso sigo esperando o lançamento de Diablo IV no dia 06 de junho deste ano ao PC, Xbox One, PlayStation 4, PlayStation 5 e Xbox Series X|S.

Diablo IV

Confira o site oficial de Diablo IV para mais informações.

Importante ressaltar que a Blizzard concedeu a chave para o acesso ao Closed Beta para a realização desta prévia. Agradecemos o suporte!


Acompanhe Magnaway nas redes sociais

Quer ficar por dentro das últimas novidades, além de nos mostrar apoio? Siga Magnaway onde achar melhor: estamos no , , e na !

Usamos cookies para aprimorar sua experiência, como permitir veiculação de anúncios e manter preferências. Aceitar Conferir Política de Privacidade de Magnaway