Análise de Doki Doki Literature Club Plus!
Página Inicial Análises Review | Análise de Doki Doki Literature Club Plus! (DDLC Plus)

Review | Análise de Doki Doki Literature Club Plus! (DDLC Plus)

Paixão mórbida em seu aterrador apogeu

por Neco
Publicado em Atualizado em 5 min de leitura

Desenvolvido pela Team Salvato e publicado no dia 30 de junho de 2021 com o auxílio técnico da Serenity ForgeDoki Doki Literature Club Plus! (DDLC Plus) é uma fiel repaginação da dantesca narrativa em modelo de romance visual que fora originalmente concebida por Dan Salvato.

Munida de exclusividades, essa versão de Doki Doki Literature Club Plus comporta novas histórias sobre o Clube de Literatura, artes em alta resolução, novas músicas, dezenas de figuras desbloqueáveis, entre outros. No entanto, apesar de assegurar a experiência definitiva do horror que está compreendido explicita e implicitamente nas entranhas desse ímpar romance escolar, Doki Doki Literature Club Plus carece de inovações substanciais, tendo em vista a astronômica simplicidade do título.

Tal qual a fachada variegada de Doki Doki Literature Club Plus, seu prelúdio em nada manifesta o célebre terror psicológico que o individualiza: enquanto marcha em direção à escola, o jogador é introduzido de modo descontraído a Sayori, moradora adjacente e amiga de infância de nosso personagem. Cedendo às insistências de sua companheira, sucede-se a descompromissada visita do jovem à sala do Clube de Literatura do qual ela é integrante. Excetuando-se a vizinha, a pequena associação era formada por outras três singelas entidades, Monika, Yuri e Natsuki, porém, em virtude da mossa geral, não tarda muito para que o seu fortuito ingresso ocorra e que o protagonista venha, destarte, a compor o quinto membro do grupo.

Doki Doki Literature Club Plus!

Considerando cada qual das moças como dotadas de seus respectivos interesses e personalidades, a orientação do enredo é definida em termos de afeição. Em outras palavras, as preferências do jogador ao escrever e compartilhar os seus poemas, assim como o impacto de suas decisões, são responsáveis pelas vicissitudes da ficção. Todos os meios, os caminhos distintos realizáveis, confluem para dois finais semelhantes, um bom e um normal, mas também existe um extraordinário. Ademais, no que tange à narrativa, ao menos comparativamente à contraparte gratuita, nenhum diferencial é notório: a experiência original está incólume. Entretanto, ser circunspecto quanto a certos elementos da trama amorteceria o impacto de uma investigação individual, portanto, firmar-me-ei em impressões gerais.

A vivência da fatia casual é indispensável para sua boa construção narrativa, que é bem executada, sutil e contém personalidade. Dada sua premissa literária, é natural que os criadores se aproveitaram de palavras cujas acepções são sensíveis às nuances e sutilezas da língua para enriquecer o conteúdo, conferir estilo às composições e estimular a imaginação dos leitores.

Adicionalmente, ao aferir o material presente a grandes ideias, concretas e eruditas, que dissertam sobre o direcionamento do estilo do escritor e à solenidade da poesia, podemos constatar genuíno respaldo teórico. Monika, a presidente, ao mencionar sua primeira dica ao jogador, parafraseia, por exemplo, o filósofo francês Jean Guitton, que afirmara que “a frase mais insignificante vale mais que o papel branco”. Yuri também faz breves menções a métodos eficientes de tomar nota ao acompanhar literatura imaginativa, como o fluxograma esquemático de relações.

Doki Doki Literature Club Plus!

De qualquer maneira, é preciso reiterar: “Doki Doki Literature Club Plus não é adequado para crianças ou pessoas facilmente impressionáveis.” O horror encerrado nesta obra envolve cenas fortes de automutilação e suicídio, bem como o seu escopo é diverso. Tópicos frágeis, alguns banais e que incutem comiseração, outros mais desconfortáveis, vêm à tona à medida que o espectador curioso penetra mais profundamente e alcança, então, o seu enigmático âmago.

A título de referência, elenco alguns temas abordados: violência – física, psicológica e patrimonial -, depressão, transtornos psicóticos, ansiedade social, problemas de autoestima e de aceitação, obsessão, conflitos interpessoais, etc. Além disso, por velar inúmeros segredos macabros, Doki Doki Literature Club! é matéria de constante discussão entre os entusiastas. Nesse sentido, a máquina virtual (VM) certamente é uma inserção reveladora.

É por meio dessa simulação que acessamos todos os novos acréscimos. O sistema operacional vigente é bastante limitado e inclui acessórios, – softwares, se assim me for permitido usar o termo -, entre os quais há o leitor de músicas, a galeria de imagens, a seção de e-mails, a aba de histórias adicionais, o suporte a papéis de parede, etc. Mais do que uma elementar adaptação conveniente aos consoles, a VM oferece maior amplitude ao sinistro conto existente: perscrute os arquivos internos e leia os e-mails para mais informações. Todavia, independentemente dos bons corolários dessa nova mecânica, mormente a praticidade, ela de forma alguma consegue ser tão autêntica e orgânica como a correlativa manipulação de arquivos do jogo precedente.

Doki Doki Literature Club Plus!

Mas o motivo redentor para o investimento nessa expansão de Doki Doki Literature Club Plus é a existência de novos relatos acerca do Clube de Literatura. As seis historietas adicionais narram contos de amizade e são desbloqueadas ao passo que é realizado progresso por diferentes rotas na campanha principal. Com elas, o tempo médio de jogatina eleva-se em no máximo cinco horas e mais um desfecho é adicionado à lista. Só que, a despeito de serem dilatações agradáveis do universo, edificantes e comoventes, e de atribuírem humanidade às personagens, essas fábulas não apresentam quaisquer materiais aterrorizantes.

O fato de todo seu incremento audiovisual incluir tão somente quatorze novas faixas musicais e pouco mais de meia dúzia de ilustrações mostra que houve discrição por parte da desenvolvedora. Ela preocupou-se, malgrado tudo, com a acessibilidade: o jogo está disponível em doze línguas, o que abarca o português. Por uma escolha de design, Doki Doki Literature Club Plus não apresenta dublagem.

Quanto ao apelo auditivo, agora 27 excelentes faixas compõem seu espectro sonoro. A sorte de sensações despertas pela trilha pode ser bem vasta e oscilante; o importante sobre a música é que cada um sinta por si mesmo a qualidade expressiva que caracteriza uma determinada peça. Para que ela seja apreciada, não é necessária nenhuma análise: deixe o ritmo cumprir seu desígnio.

Por fim, menciono o conjunto visual, que é bem-feito e tratado com esmero e simplicidade. Os modelos de personagem e panoramas de cenário, mesmo que idênticos – salvo por poucos planos de fundo e ilustrações novos -, são harmoniosos e otimamente esboçados. Não obstante isso, houve qualquer evolução gráfica, visto que agora as artes são apresentadas em qualidade Full HD de maneira nativa; anteriormente os planos de fundo eram pré-renderizados em 1280×720, e a arte das personagens, em 960×960.

Doki Doki Literature Club Plus! está disponível no PC (Steam, Epic Games Store e Serenity Forge Store) – compátivel com Windows 7, ou superior -, PlayStation 4, PlayStation 5, Nintendo Switch, Xbox One e Xbox Series X/S.


Acompanhe Magnaway nas redes sociais

Quer ficar por dentro das últimas novidades, além de nos mostrar apoio? Siga Magnaway onde achar melhor: estamos no , , e na !

Usamos cookies para aprimorar sua experiência, como permitir veiculação de anúncios e manter preferências. Aceitar Conferir Política de Privacidade de Magnaway